sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Bonito - MS

Em meados de agosto de 2016 já comecei a pensar pra onde ir no fim de ano, e então decidi comprar passagem pra Campo Grande e depois planejar todo o roteiro. Com as passagens compradas, iniciei as pesquisas sobre passeios em Bonito e Pantanal.

Fiz a reserva pelo site da www.booking.com.br, no Bonito Hi Hostel, pesquisei algumas agências de turismo em Bonito e acabei fechando com a ABN (www.agenciaabn.com.br).

O ecoturismo em Bonito é extremamente organizado, as entradas na atrações só são permitidas com um Voucher ÚNICO, onde os preços são tabelados entre todas as agências e variam entre a baixa e alta temporada. As principais atrações tem limite diário de pessoas e são realizadas em pequenos grupos, esgotando rapidamente, principalmente a Gruta Lago Azul e Rio da Prata, por isso é importante fechar previamente os passeios. 


Detalhei abaixo todo nosso roteiro, dia a dia, com informações que considero relevante:

1° DIA (25/12/16): Desembarcamos no Aeroporto de Campo Grande, às 18:30h, onde pegamos o carro alugado, previamente reservado, e seguimos até Bonito via BR-060, é só seguir as placas sentido Sidrolândria, depois Nioaque, Guia Lopes de Laguna (paramos para abastecer o carro, na BR mesmo) e Bonito. Fizemos todo esse percurso a noite, é preciso muito cuidado, pois é o horário que tem muitos animais com hábitos noturnos atravessando a pista, portanto muita cautela. Achei a estrada pouco sinalizada e perigosa para dirigir à noite, pois não tem aqueles 'olhos de gato' refletivos, que dão maior segurança. Chegamos no Hostel perto de 00:00h.

2° DIA (26/12/16): Pulamos da cama logo cedo, às 5:30h, pois nossa entrada para Gruta do Lago Azul era 7:20h, que fica a 20 km do centro de Bonito. É passada uma instrução sobre a visitação, cada um coloca um capacete como equipamento de segurança para iniciar uma caminhada bem tranquila por uma trilha até o início dos degraus para adentrar na gruta. 

Obs.: É difícil conseguir fotos boas aqui (para quem não é profissa), quando consegui calibrar a máquina, tinha que sair, o tempo de visitação é limitado a uns 15/20 minutos por grupo, é muito rápido.

Na sequência, no caminho do retorno mesmo, nossa próxima atração era a Gruta de São de Miguel. O receptivo lá é bem bonito, com inúmeras araras vermelhas. A trilha para a gruta é bem vistosa, passando por uma ponte e uma bela vegetação de cerrado.



Almoçamos na cidade (Restaurante Marco Velho) e no período da tarde fizemos nossa primeira flutuação na Nascente do Rio Sucuri. O receptivo desta fazenda também é bem legal, com piscina, lanchonete, redário, área de descanso. Antes de iniciar a flutuação é feita uma adaptação dos equipamentos e passada algumas instruções na piscina, depois seguimos todos equipados (roupa e bota de neopreme, máscara e snorkel)  num pau de arara até o início da trilha. Ao longo da trilha passamos por várias nascentes do Rio Sucuri, até chegar na nascente onde se tem início a flutuação. A água transparente e límpida é de encantar os olhos... Não haviam muitos peixes nesta flutuação.
Início da trilha, todos equipados!!!! Bora flutuar!!! 
Plataforma onde se inicia a flutuação na Nascente do Rio Sucuri

Obs.: neste passeio vai um barquinho ao lado para quem não quiser completar a flutuação até o fim do percurso.  

3° DIA (27/12/16): Os passeios de hoje localizam-se no município de Jardim, que fica a aproximadamente 50 km do centro de Bonito, sendo um trecho de estrada de terra. Fizemos a flutuação Recanto Ecológico Rio da Prata, considerada como uma das melhores. E é realmente linda, repleta de Piraputangas, Dourados, Pacus, entre outros. Esta flutuação tem o trajeto mais longo, 1800 metros flutuando/relaxando/admirando rio abaixo... até encontrar com o Rio da Prata, onde a partir deste ponto pode descer flutuando ou de barco. 
Trilha de aproximadamente 1800 metros, sobe por trilha o trecho que depois desce flutuando.
Olhem a transparência da água e esse Dourado, que lindo!!!!
video

Nesta nascente do vídeo abaixo podemos mergulhar na apneia, com a roupa de neoprene, o que dificulta muito, e tentar chegar mais próximo a ela. É incrível ver a água jorrando de dentro da Terra, e como é importante conservar e conscientizar a preservação dos recursos naturais. Após esse mergulho, saímos da água e seguimos uns minutinhos pela trilha, para desviar de um trecho de corredeira do rio, depois retorna-se a flutuação.
video

Ficou um intervalo de tempo grande entre a flutuação e o Buraco das Araras, neste meio tempo, até dar o horário seguimos para conhecer o Balneário Municipal de Jardim (é próximo ao Buraco das Araras), porém este estava fechado, então ao lado havia um outro balneário, o do Assis, pagava 20,00 reais por pessoa. No local tem uma tirolesa, bem radical por sinal e que não me passou segurança, um trampolim e salva-vidas no local. Muitas pessoas acampam neste local.

Pela tarde visitamos o Buraco das Araras. Uma trilha bem tranquila com espécies de árvores típicas do cerrado, com dois mirantes para observação em lados opostos. O Buraco é uma dolina com aproximadamente 500 metros de circunferência e 100 metros de profundidade, como se fosse uma 'erosão gigante' onde a terra cedeu, formando-o. As araras fazem seus ninhos nas paredes da dolina, infelizmente avistamos pouquíssimas araras.

4° DIA (28/12/16): Hoje pela manhã fomos pedalar com o Lobo Guará Bike  (pedalando e plantando). Um percurso bem leve, de 14 km ida e volta até o Parque Ecológico do Rio Formoso, dentro do parque seguimos de bike numa trilha pela mata margeando o Rio Formoso, até chegar num local para banho. Antes realizamos o plantio de uma muda nativa por cada participante, eu plantei um Jaracatiá (Jaracatia spinosa). Adoramos e nos identificamos com a iniciativa do Marcinho, muito simpático, comunicativo e conhecedor da região. Já plantou mais de 5000 mudas.

Infelizmente não me recordo o nome dessa muda... :/
Rio Formoso, repleto de alevinos.
Almoçamos no mesmo 'bat local', rsrsrs, no restaurante do Marco Velho e no período da tarde seguimos para nossa última flutuação no Aquário NaturalA sensação da flutuação é sensacional, um contato com a natureza em plenitude e muita paz. 
video

Início flutuação, Aquário Natural

Pela noite fomos conhecer o Projeto Jiboia. O Henrique, com a jiboia o tempo todo em seu ombro, explica a importância das cobras e interage com a plateia, de uma maneira divertida e debochada, por aproximadamente 1 hora. Depois dá início a sessão de fotos com a jiboia. 
Henrique, idealizador e palestrante do Projeto Jiboia.



Obs.: é legal chegar um pouco antes do horário marcado no voucher, pois é dada uma senha ao chegar, e esta senha está relacionada com a ordem de chamada para tirar as fotos com o jiboia.

5° DIA (29/12/16): Boca da Onça Ecotur, tem duas opções de trilha: subir ou descer os 886 degraus... :o. Tivemos a sorte que nosso grupo foi o que desceu os degraus, ufaaaa... É uma trilha curta e bem estruturada, 3 a 4km aproximadamente, margeando o Rio Salobra, oferece um complexo de várias cachoeiras ao longo dela, com paradas para banho na maioria. Também tem um rapel oferecido neste passeio, em um plataforma construída, a maior do Brasil, com 90 metros de descida ao lado da Cachoeira Boca da Onça (não fizemos).


O receptivo da fazenda é bastante agradável, com restaurante, redário, piscina, observação de animais, neste passeio está incluso o almoço


Esta são as cachoeiras ao longo deste passeio: Cachoeira Boca da Onça, Prainha, Quiosque, Poço da Lontra, Cachoeira do Fantasma, Buraco dos Macacos, Cachoeira da Anta. Na maioria é permitido o banho e outras somente contemplação, para proteção das tufas calcárias, que são extremamente sensíveis.
Cachoeira Boca da Onça, com 156 metros, a mais alta do MS.
Prainha Boca da Onça.
Parada no quiosque para quem quiser comer ou beber algo.


Poço da Lontra... Lindíssimo... Água cristalina.
Cachoeira do Fantasma - somente contemplação.
Cachoeira da Anta - somente contemplação.
video
O Buraco dos Macacos (vídeo acima) é maravilhoso, não deixem de entrar nas suas águas geladas.

Na foto abaixo, nota-se perfeitamente a formação incrível das tufas calcárias, que formam pequenas piscinas naturais.
No caminho para chegar até o receptivo da Boca da Onça, existem muitas vacas e bois, eles ficam só olhando... Avistamos também uma anta e um tamanduá.


Mudança de planos: neste dia, após o passeio da Boca da Onça, era pra seguirmos até Miranda, pernoitar e depois de lá percorreríamos pela Estrada Parque até Corumbá, para conhecer um pouco do Pantanal. Porém gostamos tanto de Bonito e achamos também que ficaria muito cansativo, então de última hora decidimos mudar todo planejamento. Cancelei as reservas em Miranda e Corumbá, e por sorte, consegui esticar nossa estadia no Hi Hostel. Tivemos que reprogramar os passeios para os próximos 3 dias a mais em Bonito. Dentro do Hi Hostel tem uma agência de turismo, fechamos por lá os demais passeios. ;)



6° DIA (30/12/16): Hoje foi um dia bem light e de descanso. Fizemos o boia cross no Parque Ecológico do Rio Formoso. Foi legalzinho, eu diria... e depois esticamos a manhã por lá, pois tem stand-up, caiaque, tirolesa numa lagoa represada. O local tem lanchonete e oferece almoço, porém voltamos para a cidade e ficamos com a tarde livre.





7° DIA (31/12/16): Fazenda Ceita Corê (Terra de meus filhos), melhor fazenda na minha opinião, gostei demais desse lugar, além de aconchegante fez com que me sentisse em casa. A trilha é bem tranquila, percorrendo um complexo com cachoeiras de águas esverdeadas, com um delicioso almoço nos esperando após a trilha e no período da tarde o mergulho em uma nascente simplesmente mágica e cheia de energia. 
Cachoeira da Hidromassagem
Cachoeira do Poção

Cachoeira do Sr. Ricardo
Olhem essa nascenteeeee!!!!! Surrealmente linda e misteriosa!!!
8° DIA (01/01/17): infelizmente, neste dia nossa manhã foi praticamente perdida. Compramos o voucher do Balneário Municipal, mas ao chegar lá na entrada estava muito, mas muito cheio e não parava de entrar carro. Por sorte conseguimos conversar na portaria e vender nosso voucher... De lá seguimos até a Ilha Bonita, lá pode pagar na hora e entrar, não tem limite de pessoas (pagamos 70,00 por pessoa). Entramos e saímos, a água estava totalmente turva e marrom, bem diferente das fotos no panfleto, um lugar lindo com águas esverdeadas... (não tirei nenhuma foto).

Fomos até a agência para ver que passeio poderíamos fazer no período da tarde, os que não estavam esgotados, só poderiam ter início pela manhã... Então como havíamos amado a fazenda Ceita Corê, decidimos ir até lá novamente, onde almoçamos e depois fomos a nascente do Rio Chapequinho pra mais um mergulho naquele lugar surreal. Tudo que eu queria, diga-se de passagem, rsrsrs, até sonhei com esta nascente por querer ir de novo, pois na primeira ida não tive coragem de adentrar na caverna e na segunda vez eu consegui. :D Sensação indescritível, tem muita energia naquele lugar, não é a toa que ela é chamada de "Fonte da Juventude". Esta é a nascente de caverna mais profunda do mundo, com 1300 litros de vazão por segundo, até hoje mergulhadores conseguiram chegar somente até 155 metros de profundidade.
video






Lago Ceita Corê
9° DIA (02/01/17): Pegamos estrada as 5:00 e vimos um magnífico nascer do Sol pra fechar com 10 nossa viagem.


Disponibilizo um resumo do roteiro, com os horários de cada passeio, espero ajudar quem gosta de organizar cada detalhe da viagem, assim como eu... ;)



Imperdível: os sorvetes de frutas típicas da região, amei o de Jaracatiá.

A rua principal do centro de Bonito é bem gostosa, com diversos restaurantes, que oferecem pratos típicos, com a carne de jacaré (não experimentamos), e diversas lojas para comprar lembranças.

Passeios que não fizemos e que eu recomendaria foram o rapel e mergulho no Abismo Anhumas e flutuação na Nascente Azul. ;)

É isso, qualquer dúvida ou pergunta estou a disposição!!! Quem já foi ou planeja ir pra Bonito-MS???